Mari Donas e Coletivo Cássia promovem oficina de pequenos reparos em comemoração ao mês da visibilidade lésbica

17 de agosto de 2018

A ação busca valorizar o empoderamento feminino para que mulheres possam realizar consertos residenciais com segurança e autonomia

Nos dias 22 e 23 de agosto a Mari Donas irá oferecer em parceria com o Coletivo Cássia duas oficinas voltadas para a população lésbica de Curitiba, abordando conceitos básicos de elétrica e hidráulica. A ação integra as atividades articuladas pelo coletivo durante o mês da visibilidade lésbica e possui o objetivo de oferecer ferramentas para que estas mulheres possam enfrentar as diferentes opressões que são fruto do machismo e da lesbofobia. O evento será realizado na sede do Grupo Dignidade, organização não governamental que atua há 26 anos na defesa de direitos e
na promoção da cidadania da população LGBTQ+.

Quem são as Mari Donas?

A empresa, criada por Guta Brandt e Melany Sue em fevereiro de 2017, surgiu no mercado curitibano para ocupar um espaço pouco representado por mulheres: a prestação de serviços na área da construção civil. Desde então já foram realizados mais de 200 atendimentos, de pequenos reparos a reformas completas em casas e apartamentos.
Para Guta Brandt, a Mari Donas existe também como forma de resistência. A participação em ações como esta em parceria com o Coletivo Cássia e o Grupo Dignidade demonstra o envolvimento da marca com causas que lutam pela conquista da equidade de gênero e o respeito à diversidade. “A nossa intenção é auxiliar públicos que muitas vezes vivem situações de vulnerabilidade e as oficinas vão ao encontro desse propósito, no sentido de emancipar,
empoderar e dar autonomia para as participantes. Além disso, especificamente durante o mês da visibilidade lésbica, é importante refletir sobre o fato de que esse grupo de mulheres é duplamente vulnerável, porque sofre tanto com o machismo e o assédio, quanto com a homofobia”, ressalta.

O Coletivo Cássia e o mês da visibilidade lésbica

No dia 29 de agosto de 1996 foi realizado no Rio de Janeiro o primeiro Seminário Nacional de Lésbicas. Desde então, a data vem sendo comemorada em todo o país como o Dia Nacional da Visibilidade Lésbica. A data foi instituída com o objetivo de combater a lesbofobia – conjunto de preconceitos, discriminações e violências exercidas contra as mulheres homossexuais – e também garantir a luta por políticas públicas que apoiem e fortaleçam a promoção da igualdade e a valorização da diversidade. Em Curitiba, o Coletivo Cássia – formado por mulheres lésbicas e bissexuais (cis ou trans) – faz parte do Grupo Dignidade e, desde agosto de 2017, busca construir discursos e espaços
potenciais para a conquista de acolhimento, de forma que as mulheres se sintam representadas, independente do contexto e local.

Segundo Thallaty Braus, uma das integrantes do Cássia, a parceria com profissionais mulheres de diferentes áreas é muito importante no desenvolvimento das ações realizadas em comemoração ao mês da visibilidade lésbica. A intenção é que todas se sintam conectadas através de uma rede de apoio para que consigam desenvolver suas habilidades e crescer cada vez mais. “Daí mais uma importância deste mês: tornar esses trabalhos conhecidos para que eles possam atingir e beneficiar o maior número de mulheres possível”. Durante todo o mês de agosto serão realizadas atividades que buscam lembrar e valorizar a importância da luta das mulheres lésbicas por direitos civis e políticos no país. Compõem a agenda eventos culturais, debates, seminários e oficinas, como a que será ministrada pela Mari Donas.

A programação completa pode ser conferida através das redes sociais do coletivo:

Serviço:
Mês da Visibilidade Lésbica
Organização: Coletivo Cássia.
Oficina de Pequenos Reparos com a Mari Donas
Quando: 22 e 23 de Agosto, às 19h.
No dia 22, módulo de elétrica e no dia 23, módulo de hidráulica.
Onde: sede do Grupo Dignidade. Avenida Marechal Floriano Peixoto, 366 – 4º andar.
Quanto: R$20
O valor das inscrições será utilizado para cobrir os custos do material usado nas oficinas.
Número de Vagas: 15 em cada uma das oficinas.
Dedicadas exclusivamente para mulheres.
Inscrições: serão realizadas pelo Sympla, mais informações através da página do Coletivo.

Promoções

Ver todas

hash track

Ouça sua música preferida na programação da Mundo Livre.

Aplicativo

Você pode ouvir a rádio Mundo Livre direto no seu smartphone.

Disponível no Google Play Disponível na App Store

2020 © Mundo Livre FM. Todos os direitos reservados