Metallica: de início, Hetfield recusou montar banda com Lars por ele tocar mal

11 de fevereiro de 2020

O vocalista e guitarrista James Hetfield relembrou dos primórdios do Metallica durante sessão de perguntas e respostas em evento no Petersen Automotive Museum, em Los Angeles, Estados Unidos, com transcrição do Ultimate Guitar. Foi a primeira aparição pública de Hetfield desde que foi internado em uma clínica de reabilitação, no fim de 2019, para tratar de uma recaída no alcoolismo.

Durante o bate-papo, James Hetfield relembrou da ocasião em que conheceu o baterista Lars Ulrich. A dupla formou o Metallica em 1981 e o resto é história, mas o que poucos sabem é que Hetfield não aceitou montar uma banda com Ulrich no começo devido à falta de habilidade inicial do colega com as baquetas.

“Estávamos no ensino médio. Estava com um amigo, Hugh Tanner, com quem tocava guitarra. Éramos a ‘próxima dupla de guitarristas’. Buscávamos por um baterista e Lars apareceu, acho que por meio de um anúncio no jornal. Nós o convidamos para uma audição e ele era terrível”, disse, aos risos. “Porém, a motivação e o espírito dele eram espetaculares”, completou.

O frontman do Metallica destacou que o baterista “venceu” na base da insistência. “Primeiro, falamos para ele que não era o que estávamos procurando, mas 6 meses depois, ele me ligou perguntando se eu me lembrava dele. Eu respondi: ‘sim, você é o cara com a bateria colorida e o chimbal caindo’ (risos). Daí ele falou: ‘então, eu tenho lugar em uma gravadora agora’. Na época, Brian Slagel estava montando a Metal Blade Records”, afirmou.

Em seguida, James Hetfield fez elogios à Metal Blade Records, que deu a primeira oportunidade para o Metallica. “A Metal Blade Records ofereceu um serviço incrível para toda banda de metal no planeta. Eles estavam começando, fazendo uma coletânea (‘Metal Massacre’) das bandas de Los Angeles. Lars não tinha banda, mas conseguiu um espaço ali porque tinha tanto vigor e conhecimento sobre música e sobre metal. Então, ele ligou e falamos: ‘ok, venha aqui, vamos fazer isso acontecer’. Criamos ‘Hit The Lights’ e ficou tudo bem”, disse.

Como James Hetfield e Lars Ulrich se conheceram
Em entrevista no ano de 2018, Lars Ulrich relembrou da ocasião em que conheceu James Hetfield. Ulrich, que é dinamarquês, relembrou que sua família se mudou para Los Angeles e a ideia era que ele se tornasse jogador de tênis profissional.

“Era para eu me tornar o 2° jogador da escola Corona Del Mar. Na Dinamarca, eu estava no top 10 do país e blá-blá-blá. […] O problema é que quando tentei entrar para o time daquela escola, eu não fiquei entre os sete melhores. Eu não estava nem entre os sete melhores da rua onde eu morava. Então, em um dia, todo esse sonho do tênis acabou e a música estava esperando para tomar conta”, afirmou.

Então, o baterista colocou um anúncio no jornal de classificados locais The Recycler, que era vendido em todas as lojas da franquia 7-Eleven. “Havia uma pequena seção de músicos e coloquei o anúncio: ‘Baterista procurando por outros fãs de metal para começar uma banda. Influências: Diamond Head, Angel Witch, Tygers Of Pan Tang e Venom’. Aí alguns caras me ligaram falando: ‘eu curto heavy metal, gosto de Styx, Kansas e Van Halen’. E eu perguntava quem era Diamond Head. Era o tipo de conversa que rolava. Tentei tocar com alguns desses caras e não deu certo”, disse.

Depois de algum tempo, um cara chamado Hugh Tanner ligou e perguntou se poderia levar um amigo. “O cara era James Hetfield. Muito tímido, introvertido, mal olhava nos olhos, custava a conversar. Mas havia alguma conexão quando tocávamos. […] Era junho de 1981, então passei o verão na Europa e passei algum tempo na Inglaterra com Diamond Head e Motörhead. Quando voltei à América, em outubro daquele ano, liguei para aquele James Hetfield, porque havia uma vibe, uma conexão. Perguntei se ele queria se juntar e ver se havia a chance de fazermos algo. E 37 anos depois, estou aqui”, afirmou.

Fonte: Whiplash.net

hash track

Peça seu som e ouça no Hashtrack!

Exemplo:
Artista: Neil Young
Música: Rockin' In The Free World
#Esse som é muito marcante pra mim porque foi o primeiro que rolou na minha programação.

Aplicativo

Você pode ouvir a rádio Mundo Livre direto no seu smartphone.

Disponível no Google Play Disponível na App Store

2020 © Mundo Livre FM. Todos os direitos reservados